Malditos somos nós tentando ser nós mesmos

Ritual teatral do gênero ópera-rock concebido por Glerm Soares e Lúcio De Araújo, com músicas do grupo Malditos Ácaros do Microcosmos e com atuação e produção da companhia de teatro Malditos Ácaros. Sua estréia aconteceu no Festival de Teatro de Curitiba em 2001 nas dependências da Casa Vermelha. Na ocasião, todos ali presentes, incitados pela poção Enxofre comemoraram dionisiacamente a insurreição dos ácaros. Para quem não teve a oportunidade de assisti-la pode agora ao menos contemplar seu maldito roteiro.


Cena 1

Todos: BlaBlablablablablablablabla!!!

Ácaro: CALEM A BOCA!

Ácaro: Silêncio por favor.

Ácaro: Silêncio absoluto.

Ácaro: Absoluto.

(pausa)

Ácaro: Contemplaram o poder do absoluto?

Ácaro: Ele está dentro de vocês mesmos.

Ácaro: Gritando suas opiniões sangrentas e mudas.

Ácaro: Ele não fala uma língua.

Ácaro: Ele não fala.

Ácaro: Existe!

Ácaro: É você ou todos nós? Bom ou mau?

Ácaro: Louco ou Normal?

Ácaro: Deus? Diabo?

Ácaro: Eu tu ele nós vós eles sabem...

Ácaro: Que tudo que vai ser dito aqui...

Ácaro: Dito por aí é, foi e será...

Ácaro: Uma lenda...

Ácaro: Uma lenda sobre regras...

Ácaro: Sobre o que está acima das regras...

Ácaro: Das palavras

Ácaro: Dos números. Acima dos símbolos!

Ácaro: Por isso não vamos dizer o nome do lugar

Ácaro: O dia mês hora minuto segundo em que ela começou

Ácaro: Se você calar a boca vai descobrir que ela existe desde que você existe

Ácaro: Pois se você não existir como vai poder comprovar que existe? (em seguida todos repetem a mesma réplica)

Ácaro: Você é a antena da eternidade ou da realidade?

Ácaro: OU DE PORRA NENHUMA!!!

Música: Silêncio Absoluto

" Silente Medonho Embebido em Sonho
Sombrio e Profundo é o mistério do Mundo
Tecido de Horrores Mordido de dores
Agudas de Medo - É do mundo o segredo
Submerso é o Ser do Universo..." (Fernando Pessoa-Fausto)

Cena 2

Ácaro: Chegou um momento em que o homem não podia mais viver sem a tecnologia. Tudo era produzido para o seu conforto e seu conforto era a base de todo o consumo.

Ácaro: Pra que mais do que comer, conhecer, explorar, celebrar o mundo a sua volta? Os seres que ele julga "irracionais" apenas aceitam os presentes e caminhos que a natureza oferece...

Ácaro: A tecnologia da inteligência artificial se tornou indispensável, ela estava em televisores, telefones, liqüidificadores, geladeiras, lava-louças. Mas ele queria que as coisas ficassem mais fáceis, mais fáceis...

Ácaro: Folgado pra caralho...

Ácaro: Até que ele conseguiu, entender o funcionamento neurológico do cérebro...

Ácaro: Putz...

Ácaro: Com um microchip que acessa a internet seu cérebro teria acesso a todo o conhecimento do planeta...Teoricamente...

Todos: Teoricamente Há! Há! Há! Há! Há! Há!

Ácaro: Na verdade o acesso total só era possível aos poderosos, aos humildes ele servia muito mais como um condicionador para o consumo e subordinação, pois toda a informação que lhe era fornecida tinha segundas intenções, e todos seus pensamentos eram rastreados.

Ácaro: A mesma história de sempre. Idiotas!

Ácaro: No fundo todos sabem a verdade, mas certas crenças impostas pelo condicionamento os impedem de enfrentá-la. A verdade é que com cada vez mais progresso o homem queria que todos pudessem tornar-se consumidores potenciais. Para isso o trabalho braçal de escala microscópica teve de ser extremamente desenvolvido e produzido em série por robôs e...

Todos: ÁCAROS!

Ácaro: Sim! Ácaros e outros microorganismos... Com a microtecnologia e a necessidade de trabalho a nível minúsculo o homem quis domesticar os seres microscópicos.

Ácaro: Mal sabia ele que nós microorganismos, apesar do silêncio perante toda a destruição que ele vem causando temos consciência da nossa individualidade. Somos um amontoado de células, um amontoado de idéias em conflito, um amontoado de tudo que não foi dito, um amontoado de seres...

Ácaro: SERES UNICELULARES!

Música: Seres Unicelulares

Seres unicelulares
Cérebros esmagados e reduzidos a partículas químicas elementares
São restos de estrelas
Conspirando contra idéias, luzes únicas, particulares
Fluindo no sangue que esfria e esquenta e movimenta por suas vias partículas frias
Elementos da tabela periódica
Levando mensagens com choques elétricos
Descargas de som, imagens, toques, cores, dores
Gravados em células ou seres escravos
De alguma função num organismo
Ou universo ao inverso das diversas possibilidades
Planetas, continentes, países cidades
Governados por Seres Unicelulares
São olhos do mal, vírus do mal, vozes do mal
Reinos do mal

Cena 3

Música: Escove bem os dentes

Escove bem os dentes, para poder estragá-los
Que graça tem a vida dos sorrisos falsos?
Todo mundo é seu amigo... Ou não, ou não!!
Conhecido... Ou não, ou não!!
Mas estão todos sorrindo, que dia lindo,
acho que vou escovar os dentes.

Calculadora: Bom Dia amigo de fé irmão camarada, muito prazer eu sou a calculadora...O espírito dela: sua essência. Aqui diante dos seus olhos eu tomo esta forma, mas na verdade eu tenho milhões e milhões de nomes.

Todos: Milhões e Milhões? Nomes?

Calculadora: Ah sim! Desculpe-me. Lembro-me agora que você sabe tudo na sua inocência... Mas resolvi dividir as coisa em classes...

Todos: Classes?

Calculadora: Nomes.

Todos: Nomes?

Calculadora: Números.

Todos: Números?

Calculadora: Dogmas.

Todos: Dogmas?

Calculadora: Lendas.

Todos: Lendas?

Calculadora: ...E preciso conhece-las todas para poder contar. Preciso saber do valor exato.

Ácaro: Exato?

Calculadora: É! Quanto!

Ácaro: QUANTO EU LEVO NISSO?

Música: Ko-i-noor

Imagine o mais belo diamante
Descoberto pela humanidade
O que será que seu brilho esconde
Será a verdade??
O que se sabe é que ele tem 108,92 quilates...
Será que os que latem mordem?
Onde está a ordem?
Ou o caos?
Ou será que há algo igual a KO-I-NOOR??!!!
"O mais belo dos diamantes nunca descobertos antes"
Desde 1739 pertencia ao Xá do Irã que lhe deu o nome de...
KO-I-NOOR!!!
O Ma-ior!! O me-lhor!!!
Monte de luz!!! Monte de luz!!!
Hoje pertence à coroa inglesa
Mas KO-I-NOOR
Já pertenceu a um Marajá!!!
Já!!! Já Chegaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Cena 4

Ácaro: Dr. Jeová ama a acarologia como homem algum jamais ousou amar uma mulher. Sua paixão por todos os micromovimentos daqueles seres tem uma relação direta com a tentativa de compreensão dos movimentos dos astros, estrelas e galáxias deste universo...Hã! Era tão simples antes...De vez em quando tem um lampejo, um relâmpago em sua mente, impressão de compreender o todo... depois se apaga, confundindo-se com uma lembrança de sua infância, correndo atrás de uma bola, ou espiando alguma menina de vestido, lá... naquela época onde não existia nem precisava existir ácaros, ou microscópios, química, física ou mesmo essa merda...essa porcaria...chamada META...física....não se META a entender o universo Dr. Jeová....não se META...comigo...

Música - Espirro de Deus

Trancado num laboratório
com o nariz metido em livros antigos
um homem sem amigos investiga perigos escondidos nas
entranhas de um microscópio
ácaros olhando para o infinito
olhos de 0,00000001 mícron
quantos seres que são vidas
terão elas consciência que exista consciência ou ao menos alguma ciência
se não puderem crer na existência de algo mais
De algum Deus
Algum Eu
observando sua pressa
onipresente
onipotente
sabem eles que eu os desprezo
por isso rezo pro meu Deus que me proteja
onde quer que ele esteja
pra eles ficarem longe de mim
Pois unidos são tão grandes quanto
ATCHIMM
Deus!!
Cadê você não vá embora!!!
"Estou aqui - e digo que chegou a hora
duma nova era
Dou a ti os meus poderes, filho
tenha fé...recompenso-te por todos
estes anos beijando meu pé
cuide destes seres como fossem teus
tua vida agora é eterna pois você morreu
e é tua a função é de ser o Deus
desta nova dimensão
invisível aos humanos
agora em extinção"
ATCHIM
ATCHIMM
ATCHIMMMMMMM

Deus: Cumpriu-se a profecia, chegou o dia do Juízo Inicial e aquele livro que Jeová lia chamado acaralogia tornou-se a colônia da primeira geração. Ação! Prontos para a destruição, navegando um mar de ranho as tropas seguem em busca do Cérebro do Senhor, fonte de paz e amor. Semente da reprodução.
Serão noites de prazer ao som dos Malditos Ácaros do Microcosmos...

Cena 5

Ácaro: Xô!!! Xoooooooooooooooooo!!!

Ácaro: É isso mesmo...Revoltados com aquela história dos humanos tomarem a decisão de domesticar ácaros os ácaros decidiram virar o jogo. Escolhemos o cérebro do Dr. Jeová para ser a nova colônia de reprodução...Foi só o Dr. dar uma cheirada naquele pó todo e milhões e milhões de bichinhos alucinados entraram por seu nariz para tramar de dentro do seu cérebro o novo destino dos humanos...Fornicando...Gritando...Batucando...e dançando... Tramamos a nova ORDEM...a nova ERA...

Ácaro: Boa noite seres microscópicos, irmãos de dimensão. Por todas eras a dimensão regida pelos metros, litros e gramas reinou no mundo da matéria onde a existência é medida por voltas que os planetas dão em torno do sol ou de si mesmas...hahahahaha...quanto pavor do fim das células ou do fim das estrelas que vivem em dimensões tão invisíveis aos seus olhos que só podem ser vistas com telescópios ou microscópios. Estrelas e células fontes de eletricidade e luz...Pois aqui de dentro do Cérebro de Deus nós gritamos:

Todos: FODA-SE A LUZ!

Ácaro: E como em Gênesis mícron 6 ver 6: "Consciente de sua nova responsabilidade, depois de ter seu cérebro devorado por trilhões e trilhões de trilhões de ácaros, Dr. Jeová ressuscitou no mundo da matéria, abriu seus olhos, e do nada disse:

Todos: FODA-SE A LUZ!

Ácaro: e a luz que se foda pois é dela o reino dos céus...."

Música: Sangue Gelado

No cemitério o mistério é porque todos os vivos estão mortos dentro dos corpos
a carne, os ossos o sangue sangrando na batida de um relógio
O coração já não é o maestro dessa orquestra
E o que resta é um bife que fala o que pensa.
E o que pensa não presta.
E o que resta? E o que resta?
Milhões e milhões de moedas ou simplesmente números.
Milhões e milhões de amebas.
Mortos vivos energúmenos.
"Abriu-se um corte no meio de céu, e finalmente aquela mão gigante mostrou vontade de agir de alguma maneira...Uma mão no meio do céu...Tão grande que não pôde cumprimentar ninguém...E esmagou a todos..."
Se está certo está morto
Se está errado está chato
Se está quieto está vivo
Pensando.
Sangrando
Palavras mudas só tuas.
Cruas.
Como a carne dos teus miolos
Sangue gelado você vai precisar
Cale a boca se não tem nada pra falar
Eu, tu, ele, nós, vós, eles
Todos uns estúpidos sem direção...

Ácaro: Obrigado, Obrigado, tenham todos uma boa noite meus amigos. Agora daqui de dentro do Dr. Jeová contemplem seu mais temido pesadelo.

Cena 6

(Dr. Jeová vestido de pijama disputa uma partida de "Hero" no Atari)

Humano: Tá vendo como eu jogo bem?

Ácaro: Este jogo estúpido parece a vida de vocês humanos, passa de fase mas continua tudo igual, só muda a cor. Só muda o cabelo, a forma de vestir, o jeito de falar. Os medos, preconceitos, desconfortos, a inveja, o ciúme toda a mesquinharia e mediocridade continua cutucando suas almas de seus...Heroooes...

Humano: A culpa não é minha, é de quem inventou o jogo.

Ácaro: De novo pondo a culpa em alguém...Entregue então este teu humilde servo, seu imbecil, traia teu melhor amigo... Quem inventou o jogo?

Humano: Foi a Atari ué...

Ácaro: Tô falando da sua vida paspalho...

Humano: Ah! ...a culpa...a culpa é de DEUS!!!!

Ácaro: Ele cagüetou o cara!

Deus: Filho! Por quê, filho? Por quê você não aceita as coisas como elas são? Será que a culpa é minha mesmo? É... Você tem razão...A culpa é minha... Eu sou um egoísta... Quero que você siga meus passos... Minha imagem e semelhança. Sendo que eu mesmo não sei se fiz certo, tanta coisa não é do jeito que eu quero... acho que seus amigos tem razão eu não sirvo pra nada... EU não EXISTO!!! EU DESISTOOOO!

Ácaro: Puta merda velho, matamo o pai do cara...

Ácaro: Ai Ai Ai... Que cagada! QUE CAGADA!

Ácaro: Fudeu. Matamo o Velho!

Deus: Mataram porra nenhuma seus idiotas. Esqueceram quem é que manda nessa merda? Esqueceram quem trabalha nessa casa?! Agora olha o que vocês fizeram com o guri!

(humano é levado na camisa de força)

Humano: Calem a boca! Silêncio! SILÊNCIO ABSOLUTO!

Deus: PShhhhh.... Silêncio...por favor.

Cena7

Música: Carne

Carne Elétrica
Você é a carne ou choques elétricos?
Ou você é o terror?
Você é ódio/amor.
Não aceita o terror porque o terror é você.
Por que?
Carne Elétrica...Ou a fumaça que um dia dela sairá...
Carbono!

Humano: Meu Deus! O que esta acontecendo...

Ácaros: HA!HA!HA!HA!HA!

Ácaro: DEUS? Seu Deus, hipócrita, nunca existiu, está morto.

Ácaro: Morto, Morto, He!He!He! Como nunca esteve, nunca foi, não está em lugar nenhum.

Humano: Não pode ser, isto é mentira!

Ácaro: Gosto do medo que a humanidade tem de si mesma! Invejável conduta.

Ácaro: Medo! Medo! Medo de admitir que está só. Que é único. Medo da natureza que te dá a vida e ao mesmo tempo te tira. Por isso precisa humanizar este mistério. Na forma de um Deus. De um Patrão, de um pai que te protege, e que julga por supostos erros.

Ácaro: Recompensa

Ácaro: Castiga

Ácaro: Seu Deus não passa de um símbolo fútil ao que não pôde jamais ser compreendido, a razão da humanidade num tudo personalizado, rimos porque ácaro nenhum jamais foi condicionado a louvá-lo, nosso riso nos alimenta, seu Deus nos alimenta. Você nos alimenta.

Humano: Deus! Como pôde me abandonar?

Ácaro: Palmas, Palmas, batam palmas! A essa execrável condição, vejo agora o quanto sua prepotência custou caro, você conseguiu o que até a mais primata espécie seria incapaz, negando a própria espécie, o seu habitat. Batam palmas, não sou eu que tomarei a decisão a respeito da humanidade, ela a tempo já tomou sua louvável decisão.

Ácaro: Ácaros, Humanos, Deus ou sei lá quem... eu vos digo que agora é a hora de celebrar. (Tira uma garrafa de Enxofre e dá uma gole, convidando todos a beberem juntos)


Cena 8

Humano: O que é isto tudo, como posso estar nesta situação, que podre, que fétido, pareço estar embriagado em meus próprios pensamentos, a humanidade está irreconhecível, mal pode se conceber, uma espécie que não se concebe, por si só não existe, nego minha própria existência. Como posso?

Ácaro: Que lindo, um momento de reflexão, Humano covarde! Humano nefasto! nega mais uma vez a sua existência, pelo menos agora que seja por uma causa justa.

Humano: NÃO! Eu não acredito em você, devo estar sonhando, isto só pode ser um pesadelo, ou será? Será? devo ter sido se... da... do... , o que.... te... nho que... a... cor... dar a... go...

Todos: HA!HA!HA!HA!

Ácaro: Após o fim de sua infortuna era, perdida e execrada; da chance que lhes foi dada, um ser arcaico, defasado por si só, julga-se com a palavra, mas que não diz nada, o mais profundo nada, que a muito tempo já perdeu a noção, uma noção deturpada, pela nuvem negra de sua existência, estereotipo da verdade, que perdeu o que achava que tinha, afinal, este intitulado "ter" tão fácil de ser compreendido, que por mais profundo nunca soubesse bem o que, incapaz de encontrar a resposta de uma única indagação, que lhe és imposta no ato da concepção, da sua própria vida...

Ácaro: VIDA? o que foi essa vida? pequenas ambições, desejos, a ilusão de encontrar amor por esta preciosidade. Porque é só assim que vocês entendem!

Humano: Frio! Meu sangue está gelado, meu corpo dói, que sensação estranha, de mal estar, é como se me deparasse com o juízo final, ou o purgatório, como se morresse, mas não estou morto, por quê? Por que tudo não acaba logo? Ao invés de me levar, apenas, incessantemente me acompanha, sinto ela bem perto, cara a cara, sinto seu cheiro. O que quer de mim? APAREÇA! Eu me rendo, suplico... Hã... Morte, pode ser você a chave de todas minhas indagações, o que devo fazer? Temer?

Agora consigo perceber, meu medo não é dela, pois ela é certa, eu não, quantas vezes fui capaz de ser lúcido? Eu mesmo, sou incerto, incessantemente incerto, temo a mim mesmo. O perpétuo envelhecimento, os maus hábitos, minha própria escravidão. Sou capaz das coisas mais incríveis, ditas evoluídas, como raciocinar por exemplo, mas de que tudo isso adianta se o raciocínio, parte de um ser dito normal, é imposto e parte de uma dominação que foge de meu controle, parte de uma alienação a algo fora do meu alcance, dos outros, meu raciocínio é que me faz são, e somente a partir disto que sou aceito, até por mim mesmo, só assim é que sou um humano, percebo então que o eu, de fato não importa, o meu eu nada totalmente original o é, sou vários pedaços, fragmentos de experiências frustradas, sou um amontoado de derrotas e supostas vitórias em mim mesmo, de que tenho que me gabar então? Que perfeito tudo isto, mas para que?

Ácaro: BLA!BLA!BLA! A humanidade se concebe na mais engenhosa de todas as torturas: a linguagem. Bla!bla!bla!

Humano: Morte, te sinto mais de perto, companheira invejável, pois não é como nós, humanos, seu poder, místico... Te venero, enigma, quem me dera ser você.

Ácaro: Goza a morte humano, pois é ela o cerne da única certeza, mas não te folga, ela não é humana, e para ela tanto faz.

Ácaro: É da morte que surge meu gozo, mais uma vez o fim. Morte sedutora, faz de tudo que vê uma presa, pois para ela é fácil, nunca quebra seu encanto, por mais distante que esteja, faz-se companheira num instante, antes mesmo de um estalar de dedos, antes mesmos da luz, por isso é tão tenebrosa, irradiante.

Humano: Morte, cadê você?

Ácaro: De nada adianta toda essa bajulação, não é assim que invoca a morte ser fútil, ela resplandece a cada gota sua de desilusão.

Humano: MALDITO SEJAM! Deus ainda irá de vos castigar.

Ácaro: Ha!Ha!Ha! É um palhaço.

Ácaro: Teu Deus está de férias!

Música: Senhor dos Micróbios

Hahaha-há morrer por Alá
Com uma bomba no bolso estourar
Gozar Beijar 100.000 deusas no céu
Enquanto da bomba um vírus cruel
Explodiu Fugiu se multiplicou
E todas suas tripas você vomitou
Seu olho vazou...sua raça acabou
E agora seu mundo é dos vírus e bactérias
Coitados que pena
Seu Deus estava de Férias!!!
Salve o novo senhor
O rei dos micróbios
A paz acabou
O caos é a lei
Salve salve o rei!
Hahaha-há morrer por Alá
Com uma bomba no bolso estourar
Gozar Beijar 100.000 deusas no céu
Micróbios aos montes, a milhões, a granel
Espalhar a doença
Destruir sua crença
Na beleza da vida
Que um shopping te vendeu
Hahaha-há você se fudeu
Agora seu mundo é dos vírus e bactérias
Coitados que pena
Seu Deus estava de Férias!!!

Cena 9

Ácaro: Ha! Chega! Ainda por cima é chorão.

Ácaro: Se é uma coisa que não entendo é a auto piedade.

Ácaro: Pois bem humano capenga, se fará a tal da piedade. E num exemplo da generosidade e benevolência acarozóica, lhe concederei uma oportunidade. O que para você significa uma chance, para nós, Ácaros, virá de bom grado, como uma forma de diversão.

Humano: Quer dizer então que me concede uma chance de rever meu Deus?

Ácaro: O destino da humanidade mais uma vez será decidido pela forma mais convencional desde os mais remotos tempos: o jogo.

Ácaro: JOGO! Roleta Russa, Bingo, Business, Compra, Venda, Namoro, Casamento. Como todo bom jogo, estou sedento, já estou prevendo, o sangue derramado, se faz justo? O que importa é só um jogo.

Ácaro: Desde os primórdios, por toda infância aos humanos é ensinado a jogar. Jogar, competir, ganhar. E se fez da vida um reles jogo, em que só há vencedores se houverem perdedores, um princípio simples, uma revelação.

Ácaro: E como sempre o jogador será somente um: O humano! Conseguirá este a vitória?

Ácaro: Um jogo sem regras e com todas as cartas na mesa, inclusive a mais temida, a mais negada pelo ser humano: A consciência!

Ácaro: Que comece o jogo.

(um jogo de xadrez em que o humano mexe as peças dos dois lados, os outros ficam atazanando)

Música: Enxofre

Ninguém mais tem alma. Ninguém mais tem calma
Eles querem passar. Eles querem cruzar
O Buraco Negro...
Presos na terra...grudados no chão
Deus é o pau...o ácaro é o coração
Universo não é existe...é tudo invenção...
A dor é o prazer e matar é o ato da criação
Eu sinto o que você gosta.
Eu sei o que você quer
Você pode ser deus se tiver um carro
E se tiver um carro pode ter uma mulher
Lá vem outro collor. Lá vem mais um bill gates
Lá vem outro hiltler. Lá vem saddam husseim
ENXOFRE!!!!!
"E ele obrigou a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, a receber uma marca em sua mão direita ou em seu rosto, de tal forma que ninguém poderia comprar ou vender coisa alguma se não estivesse marcado com o nome da fera ou com o número do seu nome...Aqui é preciso ter sabedoria! Quem tem inteligência, calcule o número da fera, pois é um número de homem: seu numero é 666." (Apocalipse 13:16-18.)
ENXOFRE!!!
Palavras e números... Julgar ou jogar...ou NÃO.

Humano: Mas isto não é ser benevolente, como poderei vencer a mim mesmo, isto não é justo. Meu Deus não...

Ácaro: Vai perder, Vai perder, e sua cabeça vai rolar...

Humano: Como chegarei a vitória? Meu Deus porque não aparece, sempre nas horas de apuros some. Apareça! Filha da Puta.

Ácaro: Alguém vai ter pena de você nem que seja você mesmo.

Humano: Eu mesmo! Sim! EU MESMO! Não preciso da piedade de vocês ácaros e desse seu jogo estúpido. Não preciso de um Deus que põe a culpa de seus erros em mim.

Ácaro: Erros humanos! Preconceitos Humanos! Julgamento humano!

(Deus aparece com um punhal)

Humano: Sempre achei que partisse de meu Deus a esperança do amanhecer, dos dias melhores, mas que esperança é esta? A vida não é um jogo. Ela simplesmente é. Não preciso mais da sua proteção e do seu julgamento. No preciso do Bem e do Mal. Do medo ou do orgulho. Do despotismo autoritário do meu... "SENHOR"! Da suposta "ORDEM"! A morte faz parte da vida e se você é o todo pode ser também a morte. MORRA!

(esfaqueia Deus, ergue o coração)

Todos: Malditos somos nós tentando ser nós mesmos!

Humano: Ao matar meu Deus tornei-me eu mesmo, um ser condenado, destinado pelos meus erros. Maldito seja eu!

(vai embora espirrando)

Música: Malditos somos nós tentando ser nós mesmos

Vocês e eu somos malditos
Por tudo que tem sido dito e escrito
Sobre todas essas regras eu vomito
Escreva a regra você mesmo
A esmo Ao acaso
Da morte e vida faça pouco caso
Se puder
Pois tudo seja o que vier
Que Venha!!! E Vem...
Te cuspo e cuspo com desdém!!!

(todos cospem no châo e a luz se apaga)

 

mp3 dos Malditos Ácaros do Microcosmos

 

index